Nutrição Enteral

Dieta EnteralO QUE É UMA DIETA ENTERAL?

Segundo a Portaria n° 337, a ANVISA define nutrição enteral como “Alimentação para fins especiais, com ingestão controlada de nutrientes, na forma isolada ou combinada, com composição química definida ou estimada, especialmente elaborada para uso por sondas ou via oral, industrializadas ou não, utilizada de forma exclusiva ou parcial para substituir ou complementar a alimentação oral em pacientes desnutridos ou não, conforme suas necessidades nutricionais, em regime hospitalar, domiciliar ou ambulatorial, visando a síntese ou manutenção de tecidos, órgãos ou sistemas.”
São dietas especificamente elaboradas para pacientes que, durante o curso ou recuperação de uma doença, necessitam de um aporte de nutrientes específico, não complementado pela alimentação normal, ou que estão impossibilitados (ou têm dificuldade) de receber alimentação via oral, portanto a recebem, nesse caso, via sonda.

QUAIS OS TIPOS DE SONDA?

- Naso Enteral: sonda introduzida por uma das narinas e posicionada no estomago ou intestino.
- Gastrostomia: sonda posicionada no estômago.
- Jejunostomia: sonda posicionada no jejuno.

QUAIS OS UTENSÍLIOS UTILIZADOS NA ADMINISTRAÇÃO DA DIETA?

- Sonda: tubo flexível de poliuretano ou silicone, que permite o alimento chegar ao estomago ou ao intestino.
- Frasco plástico: recipiente plástico, graduado, com capacidade para 300 ou 500 ml, para acondicionamento da dieta.
- Equipo: tubo de pvc, com câmara de gotejamento e roldana para o controle do gotejamento, que transporta a dieta do frasco para a sonda do paciente.

COMO SÃO CLASSIFICADAS AS DIETAS ENTERAIS?

•Dietas Poliméricas: nutrientes íntegros, com ou sem lactose, baixa osmolaridade, menor custo, hiperprotéicas, hipercalóricas suplementadas com fibra, etc.
•Dietas Oligoméricas: hidrólise enzimática das proteínas, suplementação de aminoácidos cristalinos, osmolaridade mais alta, digestão facilitada, absorção intestinal alta.
•Dietas Monoméricas ou elementares: nutrientes na forma mais simples, isenção de resíduos, hiperosmolares, alto custo.
•Dietas Especiais: formulações específicas para atender as necessidades nutricionais diferenciadas de acordo com a doença de base.
•Módulos: predominância de um dos nutrientes

DIETA LÍQUIDA INDUSTRIALIZADA

As dietas líquidas industrializadas já vêm prontas para uso. Possuem em sua formulação, todos os nutrientes e o aporte calórico 100% de acordo com a prescrição do nutricionista, atendendo integralmente as necessidades do paciente. São práticas e fáceis de utilizar, não oferecendo trabalho no preparo e nem os riscos de contaminação existentes nas dietas caseira e em pó.

COMO ENVASAR?

1 – Retire a tampa de um frasco plástico, no qual será envasada a dieta.
2 – Agite bem antes de retirar o lacre e coloque no frasco a quantidade desejada, recomendada pelo nutricionista. Utilize a graduação existente no frasco.
3 – Após envasar a dieta, rosqueie e feche o frasco mantendo a tampa para cima.
4 – Após estes procedimentos, abra a embalagem do equipo e desenrole-o.
5 – No equipo, existe um “copinho” transparente, um botão de gotejamento e duas extremidades diferentes, cada qual com uma tampa de proteção. Retire-as. Conecte a ponta, que se localiza próxima ao copinho, no frasco.
6 – A outra ponta deve ser encaixada na sonda.
7 – Pendure o frasco de dieta cerca de 1 metro acima da cabeça do paciente. Controle a velocidade do gotejamento através do botão da roldana. Quanto mais para cima o botão estiver, mais rápida será a velocidade do goteja-mento. A velocidade ideal é de cerca de 50 a 60 gotas por minuto.

COMO ADMINISTRAR?

Devem ser administradas de 3 em 3 hs ou de 4 em 4 hs, 5 ou 6 vezes ao dia. Os volumes e horários devem ser orientados pelo nutricionista.
O paciente deve receber a dieta sentado ou em decúbito elevado, para evitar refluxo e/ou vômitos.
A dieta deve ser administrada em temperatura ambiente. Se a dieta estiver guardada em geladeira, deve ser retirada cerca de 30 a 40 minutos antes da sua administração.
Após a administração de cada dieta, deve-se administrar 50ml de água mineral, em temperatura ambiente, com uma seringa de 20ml diretamente na sonda. Este jato de água serve para limpar a sonda.
A água de hidratação pode ser administrada em frasco descartável, nos intervalos das administrações das dietas. A quantidade deve ser determinada pelo nutricionista.

COMO ARMAZENAR E CONSERVAR?

Antes de abertas, devem ser armazenadas em local seco, fresco e em temperatura ambiente, longe de calor. A data de validade deve ser respeitada.
Depois de abertas, devem ser conservadas, na embalagem original, em geladeira por até 24 horas. A partir do momento que a dieta é retirada da sua embalagem original e envasada no frasco, deve ser administrada imediatamente.

DÚVIDAS FREQUENTES:

Posso aquecer a dieta antes de administrá-la?
O correto é que a dieta seja administrada em temperatura ambiente. Para isso, o ideal é deixar a dieta fora da geladeira cerca de 30 a 40 minutos antes da administração. Caso esqueça de retirar com antecedência, coloque a dose da dieta em banho-maria, com o fogo desligado.

Posso acrescentar outros produtos à dieta enteral, para que ela fique mais calórica ou mais protéica?
Deve-se tomar muito cuidado com esta conduta. Só acrescentar produtos que sejam próprios para esta finalidade e com acompanhamento do nutricionista ou médico. O acréscimo de qualquer produto na dieta enteral pode alterar a sua viscosidade, dificultando a sua administração.

Posso acrescentar água na dieta para que ela fique mais fluida? 
Não é necessário. A dieta já tem a viscosidade e fluidez adequada para ser administrada sem intercorrências. Caso seja percebida qualquer alteração na viscosidade do produto, este não deve ser utilizado.

Como devo armazenar a dieta antes e após abertura do litro?
Antes de aberta a dieta deve ser armazenada em local fresco, seco e arejado, sem a presença de raios solares e isolada de produtos de limpeza e higiene. Após aberta a dieta deve ser guardada em geladeira, dentro de sua embalagem original, por até 24 horas.

Posso reaproveitar frascos e equipos ou estes devem ser descartados a cada utilização?
Em domicílio, utiliza-se 01 frasco e 01 equipo para cada 24 horas. Para a reutilização, estes equipamentos devem ser higienizados com água corrente e sabão neutro e ficar em imersão em solução de hipoclorito de sódio. Para a diluição do hipoclorito e tempo de imersão, consulte as informações contidas na embalagem do produto, que varia de acordo com o fabricante.

Em quanto tempo devo administrar a dose da dieta?
O tempo de administração vai depender do volume da dose. O ideal é controlar o gotejamento que deve ser de, aproximadamente, 60 gotas/minuto, porém, o médico ou nutricionista devem ser consultados a respeito.

Como fazer o controle do gotejamento da dieta?
Na extremidade do equipo que deve ser conectada no frasco de dieta, há uma roldana para a regulagem da velocidade de gotejamento da dieta. Quanto mais para baixo estiver a roldana, menor será a velocidade do gotejamento.

Como devo administrar a água de hidratação?
Após cada administração da dieta, o ideal é administrar cerca de 50 a 100ml de água, através de gotejamento ou jato com a seringa diretamente na sonda. Esta água auxilia na limpeza da sonda e na hidratação do paciente.

Qual é a validade da dieta?
A validade das dietas varia dependendo do fabricante. Geralmente tem validade de 01 ano após a data de fabricação. Consulte sempre na embalagem, a data de validade. Nunca administre um produto com a validade vencida.

E os medicamentos, podem ser administrados pela sonda?
Consulte sempre o médico, para saber sob formas de administração e horários.

Existe dieta enteral industrializada salgada?
Não. As dietas industrializadas normalmente têm leve sabor adocicado. Isso acontece, devido às fontes de carboidratos que compõe a dieta, que geralmente são maltodextrina ou sacarose.

EM QUE CASOS A DIETA ENTERAL É INDICADA?
A dieta enteral é indicada em diversos casos, especialmente:
•Disfagia grave por obstrução ou disfunção da orofaringe ou do esôfago, como megaesôfago chagásico, neoplasias de orofaringe e esofágicas;
•Coma ou estado confusional, por trauma crânio-encefálico, acidente vascular cerebral, doença de Alzheimer, entre outros;
•Anorexia persistente, por neoplasias, doenças infecciosas crônicas, depressão, etc;
•Náuseas ou vômitos, em pacientes com gastroparesia ou obstrução do estômago ou do intestino delgado proximal;
•Fístulas do intestino delgado distal ou do cólon;
•Má-absorção secundária à diminuição da capacidade absortiva, como no caso de síndrome do intestino curto;
•Broncoaspiração recorrente em pacientes com deglutição incoordenada;
•Aumentos dos requerimentos nutricionais, por exemplo, em pacientes com grandes queimaduras;
•Doenças ou desordens que requerem administração de dietas específicas: quilotórax e pancreatite aguda, insuficiência hepática, insuficiência renal, doença de Crohn em atividade e outras.

PROBLEMAS E POSSÍVEIS SOLUÇÕES

PROBLEMA SOLUÇÃO
Refluxos Administre a dieta com o paciente sentado ou em decúbito elevado. Diminua a velocidade de gotejamento. Respeite os intervalos entre as dietas determinados pelo nutricionista ou médico.
Prisão de ventre Consulte o médico e/ou nutricionista, para uma possível alteração da dieta e/ou medicamentos.
Gases Verifique se não há presença de ar no equipo, antes de conectá-lo à sonda do paciente. Diminua a velocidade do gotejamento e mantenha a sonda fechada no período em que a dieta não está sendo administrada. Caso persista comunique-se com o médico e/ou nutricionista.
Diarréia Verifique se não há presença de ar no equipo, antes de conectá-lo à sonda do paciente. Diminua a velocidade do gotejamento e mantenha a sonda fechada no período em que a dieta não está sendo administrada. Caso persista comunique-se com o médico e/ou nutricionista.
Obstrução da sonda Com uma seringa de 20 ml, administre água em forma de jato, para remover possíveis resíduos de dietas e medicamentos. Caso não solucione o problema, entre em contato com seu médico.

Adaptado de: http://www.nutricaototal.com.br e http://nutricaoenteral.no.comunidades.net
A Nutri-Vida possui uma linha completa de dietas enterais (multimarcas) e suplementos alimentares: http://www.lojanutrivida.com/dietas.html.

Sobre José Moacir Silva e Silva

“Jamais colocarei meu nome em um produto que não tenha em si o melhor do que há em mim” John Deere
Esta entrada foi publicada em Nutrição Clínica. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.