Será que a gema do ovo aumenta o colesterol?

0
831

Calma, falando assim, parece até que cortar o ovo da dieta é a melhor saída para evitar doenças cardiovasculares, certo? Errado.

Acontece que a quantidade de colesterol de um alimento não tem impacto direto sobre o colesterol plasmático (do sangue). O mecanismo é complexo e depende de fatores genéticos, consumo de gorduras saturadas e trans, falta de atividade física e dieta pobre em fibras. Ou seja: ao comer um ovo, acontece uma variação do colesterol, mas ela vai depender de outros fatores – e com certeza será inferior a 210 miligramas.

Um ovo tem em média 210 miligramas de colesterol. Isto significa uma grande quantidade. Para ingerir a mesma quantidade, você precisaria comer 300 gramas de pão de queijo, um pacote de manteiga, 500 gramas de almôndega ou 2 quilos de biscoito de polvilho. Como os médicos recomendam um consumo de até 300 miligramas de colesterol por dia, um único ovo já preenche quase toda a cota.

A preocupação com o colesterol é tão grande que muita gente se esquece dos benefícios do ovo em uma dieta equilibrada. Além de ser rico em proteínas, tem minerais como ferro e zinco. É também um dos poucos alimentos que contêm vitamina D. Apenas um terço de suas gorduras são saturadas, contra 60% das de um requeijão. E tudo isso por 75 calorias – menos que uma banana.


“O aumento do colesterol depende de fatores genéticos, consumo de gorduras, falta de atividade física e de fibras.”

gema-do-ovo

 

O colesterol do ovo faz mal?

Muitos não sabem, mas o organismo necessita de alguns níveis de colesterol para funcionar, pois na quantidade certa, o colesterol reduz o risco de doenças do coração. O colesterol que é encontrado nos alimentos como carne vermelha, frango, frutos do mar, ovo e derivados do leite tem pouco interferência no colesterol ruim que é encontrado no organismo.

Então o colesterol de uma pessoa não irá aumentar caso a mesma coma um ovo por dia. O mais importante para não aumentar o nível de colesterol ruim é seguir uma dieta balanceada e praticar exercícios físicos.

Então não corte o ovo de sua dieta, a menos que seja recomendado por um médico ou nutricionista.